sábado, 21 de maio de 2011

cracolândia vai virar cristolândia


2ºCoríntios 5:17 Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.
Existe na cidade de São Paulo uma região chamada de Cracolândia. Esta região ficou assim denominada por reunir milhares de crianças, jovens e adultos de ambos os sexos que estão vivendo uma semi-vida mergulhada nesta droga chamada Crack.
O Crack é um subproduto da Cocaína que até pouco tempo era descartado, atualmente é largamente vendido e normalmente é fumado em cachimbos artesanais. Ela é uma droga poderosa que seca a pessoa fisicamente, deteriora o celebro e mata o usuário em poucos meses. Muito se fala de que esta droga é uma viagem sem volta. Afirmam que quem começa a usá-la jamais conseguirá sair. Esta é apenas mais uma mentira do diabo que tenta enganar àquelas pobres vítimas de suas artimanhas.
Provérbios 23:32-25 No fim, picará como a cobra, e como o basilisco morderá. Os teus olhos olharão para as mulheres estranhas, e o teu coração falará perversidades. E serás como o que se deita no meio do mar, e como o que jaz no topo do mastro. E dirás: Espancaram-me e não me doeu; bateram-me e nem senti; quando despertarei?…
Seis meses já se passaram desde a chegada dos Radicais Brasil à Cracolândia, no centro da cidade de São Paulo. Em meio a usuários de drogas e traficantes, pregaram o evangelho, fazendo Cristo conhecido por meio de estratégias simples, mas eficazes. Liderados pelo casal de missionários Humberto e Soraya Machado, o grupo circulou entre becos e favelas da capital, mostrando aos marginalizados que há esperança apesar da obscuridade das circunstâncias que os rodeavam. A tarefa não foi fácil, mas foi o pontapé inicial para que o quadro de morte da Cracolândia, aos poucos, se transforme em traços originais do Autor da Vida.
Caminhar lado a lado com a população de rua, demonstrando interesse pela fragilidade humana, foi essencial para que o projeto se desenvolvesse. Logo nas primeiras ações, os Radicais presentearam com um par de muletas uma moradora de rua – grávida de sete meses e com uma fratura na perna, já que a sua havia sido roubada. “Ela chorava muito, e nós, que estávamos ali naquele momento, tínhamos que dar uma solução. Oramos, conversei com ela e pedi que me aguardasse. Voltaríamos com a resposta. Era desafiador… a garota não tinha como sair daquele lugar”, explicou Soraya. Mais tarde, a solução: um novo par de muletas. Daí por diante a confiança estava estabelecida. Ouviam-se dos marginalizados comentários do tipo: “Eles são sérios e fazem um excelente trabalho… eles são de Deus!”.
A nova igreja está sendo formada aos poucos, durante o dia e nas madrugadas, por meio de abordagens pessoais a usuários de drogas. Os frutos que surgem precisam de um acompanhamento diário, sendo, em sua maioria, encaminhados para casas de recuperação, onde também recebem o discipulado. No trabalho com marginalizados, não basta retirar as pessoas das ruas. É necessário alcançar o foco do problema. Por isso, foi preciso alargar a tenda, alcançando também a Comunidade do Moinho, realizando um trabalho particular no local de onde vem grande parte das drogas que são consumidas na Cracolândia. Paralelamente ao trabalho espiritual realizado no Moinho, os Radicais realizam atendimentos sociais, tais como cortes de cabelo, orientações médicas e atendimento diferenciado às crianças. Como resultado desse período de atuação, algumas famílias já se decidiram por Cristo.
Um dos frutos gerados na Cracolândia é a jovem G. Em julho de 2009, soube da atuação dos Radicais e decidiu procurá-los a fim de encontrar libertação. Apesar de tímida, contou que havia deixado a Bahia após algumas desavenças familiares. Chegando a São Paulo, se virou como pôde para se alimentar e conseguir abrigo. No crack viu a forma mais barata para fugir dos problemas, mas o que não sabia era que essa viagem custaria nada menos que anos de vida. Contou que tinha uma filha, que era cuidada por uma amiga. Quando dava, fazia uma breve visita para controlar a saudade, mas a tentação das drogas falava mais alto, fazendo-a retornar às ruas.
Felizmente, após ser encaminhada para uma casa de recuperação, G. encontrou um novo caminho e, no dia 27 de Dezembro de 2009, confirmou sua decisão por Cristo, descendo às águas batismais na Primeira Igreja Batista de São Paulo (igreja que dá o apoio logístico e institucional ao projeto Radicais Brasil Cracolândia). A emoção foi grande e a certeza de se estar no caminho certo ainda maior.

De Traficante a Obreiro na Cracolândia

Humberto Sousa Machado nasceu em Salvador, BA, no dia 15 de Novembro de 1957. Viveu com os pais no morro do Barro Branco. Com doze anos fugiu de casa, indo parar em São Paulo. Na grande metrópole morou nas ruas e entrou de cabeça no mundo das drogas. Aos 16, foi preso por tráfico de drogas. Foram 15 anos de envolvimento no crime, chegando a ser preso 25 vezes. Em 31 e dezembro de 1984, depois de uma overdose e tentativa de suicídio, teve um encontro com Jesus. Batizou-se em 31/12/1987 e em Dezembro de 1996 concluiu o curso de Teologia.
Em 21 de Abril de 1989 casou-se com Soraya Márcia Oliveira de Assis. Após sete anos trabalhando com igrejas, criou seu primeiro ministério de evangelização numa penitenciária, onde batizou cerca de duzentos presos. Depois disso, conheceu missões e foi desafiado a trabalhar na Convenção Batista Baiana. No ano de 1990, iniciou a plantação de igrejas dentro dos presídios, criando o SOS PRESÍDIOS. Por intermédio deste projeto, foram plantadas oito igrejas dentro dos presídios de Salvador e batizados cerca de setecentos presos. Pr. Humberto foi então desafiado por Missões Nacionais a assumir a Coordenação do Sistema Penitenciário do Estado do Espírito Santo, onde durante quatro anos, dirigiu o Instituto de Reabilitação Social (IRS). Plantou a primeira Associação de Proteção e Assistência ao Condenado da América Latina e implantou a evangelização nos presídios no estado do Espírito Santo. Retornando a Salvador, em 2001, deixou Missões Nacionais e passou a pastorear a Segunda Igreja Batista em Coaraci, abrindo um centro de recuperação em Teixeira de Freitas, BA.
Em 2009, aceitou, juntamente com a esposa, o desafio do Radical Brasil na Cracolândia, SP. Entende que Deus o abençoou no sentido de retornar ao ministério pela Junta de Missões.
A Cracolândia está mudando! Jesus Cristo está sendo anunciado àquelas vidas que achavam-se perdidas sem futuro. Os governos da cidade e do estado de São Paulo já reconhecem e tornam notórias as diferenças que já se pode ver na Cracolândia. Afirmam que devido a ação dos Batistas Brasileiros a Cracolândia em breve irá se tornar em Cristolândia.
Reuniões de Oração dos Radicais Brasil Cracolândia com aqueles que estão largando desta droga
Oremos para que este dia chegue logo. Jesus quer e pode mudar a vida de toda e qualquer pessoa. Não existe droga que não se consiga vencer pelo Sangue de Jesus! Nada nem nenhuma droga pode superar a força que existe no bendito sangue de Jesus Cristo. A mentira de que do Crack ninguém sai é uma artimanha do inimigo para amarrar aquelas pobres almas que por fraqueza ou por outras circunstâncias se deixaram envolver com esta droga.
Existem sim! Vários ex-usuários de Crack assim como ex-usuários de maconha, cocaína, LSD, Heroína e todas as demais drogas que conseguiram largar delas ao se entregarem a Jesus Cristo. Sozinhos não conseguiremos, mas com Cristo ao nosso lado não existe absolutamente nada que possa nos vencer!

pois o evangelho é poder de Deus e salvção para todo aquele que nele  crê

fonte: mantenedor da fé

Nenhum comentário: