sábado, 15 de outubro de 2011

evangelismo radical no rock in rio

Com informações e fotos do Facebook do EU SOU – JBC – Rock in Rio
cartaz do trabalho evangelístico
primeiras fotos do trabalho tiradas em 23/9/2011 em frente a "cidade do Rock"
Ontem começou uma grande mobilização de Jovens no Rio de Janeiro. Antes que você pense que estamos falando do Rock in Rio, saiba que estamos sim falando de algo relativo a este megashow, mas na verdade é sobre o EU SOU, movimento de evangelismo que está sendo realizado na entrada da “cidade do rock” no Rio de Janeiro.
Não há quem não tenha ouvido falar que a cidade do Rio de Janeiro está recebendo o Rock In Rio, nos dias 23, 24, 25, 29 e 30 de setembro, 1 e 2 de outubro. Segundo seus organizadores este é o maior festival de música e entretenimento de todo mundo reunindo mais de 100mil pessoas por dia e obviamente sabemos que o uso de drogas, bebidas e a sexualidade estarão em alta nestes dias.
primeiras fotos do trabalho tiradas em 23/9/2011 em frente a "cidade do Rock"
Sendo assim, a JBC – Juventude Batista Carioca, mobilizou jovens cristãos para que juntos possam impactar vidas, falando do amor de Deus, por um mundo verdadeiramente melhor.
A intenção da JBC é dizer ao mundo que nós cristãos amamos o pecador, mas rejeitamos o pecado, podemos ter uma vida alegre sem ter que nos drogar ou prostituir e que vivemos uma vida nos moldes que a Bíblia nos ensina.
Tememos a Deus, por isso vamos Equipar, Mobilizar e Enviar nossa juventude para Resgatarmos o perdido.
Foram realizados treinamentos de evangelismo estratégico para capacitar os jovens que se inscreveram em abordagens que estão sendo feitas nestes dias e Deus já está usando-os para que muitos conheçam a Jesus.
primeiras fotos do trabalho tiradas em 23/9/2011 em frente a "cidade do Rock"
Faça parte deste grande ajuntamento para que o Nome de Deus, O GRANDE EU SOU, seja conhecido por todos.
Várias áreas de atuação no evangelismo estão sendo desenvolvidas como: Atuações nas áreas Circenses, Evangelismo Explosivo e Estratégico, Teatro, Estrutura, Logística.
Ore e apoie esta iniciativa. Para maiores informações: (21) 2565-7390,  (21) 8485-6606 e  (21) 8485-6605 ou pelo email: jbc@jbc.org.br
Mais fotos da preparação e trabalho:
Treinamento prévio antes da saída para evangelizar
Todo o trabalho está sendo realizado debaixo de muita oração
Oração é a chave para qualquer ação missionária
na obra evangelizando

domingo, 11 de setembro de 2011

Aleijada por não negar a Jesus

Fonte: Missão Portas Abertas
UGANDA (*) – Uma menina de 14 anos ainda é incapaz de andar, 10 meses depois de ter sido torturada pelo pai, por ter deixado o Islã e colocado sua fé em Jesus, de acordo com os cristãos da área.
Susan Ithungu, da aldeia de Isango, em Uganda, foi hospitalizada no Hospital Kagando em outubro de 2010, quando os vizinhos e a polícia a salvaram de seu pai, Beya Baluku. Ele foi preso depois, mas libertado rapidamente, disseram as fontes.
Susan Ithungu
Susan e seu irmão mais novo, Mbusa Baluku, moravam sozinhos com seu pai, depois que ele se divorciou de sua mãe. Em março de 2010, um evangelista da Igreja do Evangelho Pleno de Bwera falou na escola de Susan e ela decidiu confiar em Cristo para ser salva.
Eu ouvi a mensagem do amor de Cristo, de que ele havia morrido para nos dar paz eterna e decidi acreditar em Cristo”, disse ela, na cama do hospital. “Depois de um mês, chegou ao meu pai a notícia de que eu tinha me convertido e isso foi o início dos meus problemas com ele. Nosso pai nos advertia para que não fôssemos à igreja, nem ouvíssemos o evangelho. Ele até nos ameaçou com uma faca afiada.
O Pastor José, da Igreja do Evangelho Pleno em Kasese, disse que os vizinhos a levaram ao hospital do governo, depois que a garota foi libertada.
Ele a trancou em um quarto muito apertado durante seis meses, sem deixá-la ver a luz do sol”, disse o pastor. “O irmão mais novo foi advertido para não dizer a ninguém que Susan estava trancada em um quarto sem nada para comer.
Mbusa disse que, quando seu pai saía, ele dava algumas bananas a sua irmã. “Eu também cavei um buraco no chão para passar água para ela. Mas, na maioria dos dias, ela só conseguia beber a lama”, disse ele.
Um vizinho, que pediu anonimato, disse que toda a vizinhança ficou preocupada por não vê-la por muito tempo. “O irmão dela, então, nos revelou que Susan estava trancada em um dos quartos da casa. Em seguida, relatamos o caso à polícia, que foi até a casa e libertou a menina.”
Susan foi imediatamente para o hospital do governo, onde o pastor José a visitou. ”Susan estava muito magra e não conseguia falar ou andar. Seu cabelo tinha ficado amarelo, tinha unhas longas e olhos encovados. Ela estava com menos de 20 quilos.”
Igreja do Evangelho Pleno das redondezas de Kasese
O pastor continuou: “Pela graça de Deus, Susan ainda está viva. Embora ainda não possa andar, ela consegue falar agora. Ela ainda está se alimentando de comidas leves. A grande notícia é que Susan está firme em Jesus. Ela precisa de orações e apoio, para que possa retornar à sua rotina o mais breve possível”.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

vamos semear

Se você não puder ver os resultados, enquanto estiver nessa terra, lembre-se que você é apenas responsável por seu labutar e não pelo sucesso. Continue semeando, continue batalhando!” (C. H. Spurgeon).
 Eu fico encantado com os pormenores do Salmo 126. O contexto narra um júbilo pela saída do povo de Deus do doloroso período de cativeiro em terras babilônias. O regozijo é estampado em várias expressões de alegria ao longo de toda a porção bíblica.
 Em resumo, o povo que já havia pendurado suas harpas nos “salgueiros chorões” por não conseguirem cantar louvores ao Senhor em terra estrangeira agora se unem em um som festivo e delirante de louvor e adoração pelos feitos do Senhor em favor deles.
 É fato que o povo de Deus nunca se sentiu “em casa” na Babilônia, embora saibamos historicamente que muitos optaram em permanecer em exílio, uma vez que já haviam lucrado dividendos com os babilônios, a verdade taxativa é que quem é de Jerusalém não se sente bem na Babilônia.
 Agora, o texto a meu ver chega ao seu clímax no verso 06: “Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com jubilo, trazendo os seus feixes”. Aqui eu aprendo algumas lições sobre a semeadura que aplico para a minha vida pessoal:
 (a)    Semear é um ato de responsabilidade.
 O semeador não tem outra coisa a fazer se não ser fiel à sua missão (semear). Não há lugar para preguiçosos na trilha do sucesso! Alguém já disse que o único lugar em que “sucesso” vem antes de “trabalho” é no dicionário! Se não semear não se pode esperar a colheita. É uma verdade óbvia, mas desobedecida por muitos que, ficam esperando sentados a vitória cair em seus colos quando na realidade o desafio vital é justamente: sair para semear.
 Sair de sua “zona de conforto”, do seu lugarzinho comum, buscar alternativas para os seus problemas, deixar a inércia, enfim, abandonar o seu pessimismo genético e insistir na conquista de novos territórios para a sua vida pessoal. Tenho aprendido que não ousar, por medo de arriscar é decretar para si mesmo a perpetuação da desgraça!
 (b)   Semear é um ato de fé.
 Quando se lança a semente na terra, o lavrador não tem mais controle da semente, agora tudo depende dela mesma! Ai entra o mistério da fé! A germinação de nossos sonhos (e das promessas que eu venho requerendo do Senhor) virá por meio da minha atitude de confiança no Deus que é eterno e bom!
 Lendo um sermão de Martin Lloyd Jones me vi refletindo sobre um aspecto importantíssimo de nossa vida de oração, o ponto de que as alegações, argumentos e solicitações são legitimas em nossa oração. O grande pregador do século passado acrescenta: “Acredito que Deus, como Pai, Se deleita em ouvir tais alegações, arrazoados e argumentos. Esta flébil geração de cristãos parece que esqueceu aquilo em que nossos pais costumavam deleitar-se quando falavam em ‘reclamar as promessas’”.
 A fé envolve esse elemento de “reclamar as promessas”, isto não tem nada a ver com as exigências pitorescas feitas pelos adeptos da chamada “confissão positiva”, tão comuns aos neo-pentecostais de nosso tempo. Essa atitude apregoada por Lloyd Jones e confirmada nas Escrituras é o de pedir insistentemente até o ponto de escutar o próprio Deus dando a resposta, com o apaziguamento de nosso homem interior pelo sopro fantástico do Espírito Santo.
 (c)    Semear é um ato de paciência.
 Para germinar a semente tem de morrer (João 12.24). É um morrer temporário, pois eis que a semente surgirá na terra em um pequeno espaço de tempo. Mas o semeador precisa ter paciência, porque ele precisa saber esperar. Já reparou que você pode estar esperando o leite ferver, mas é quando você vira as costas que ele derrama?
 Paciência não tem a ver com obsessão em ficar observando sofregamente as semeadas à espera de resultados imediatos. Lembre-se da frase de Spurgeon acima, você é responsável pelo labutar e não pelo sucesso. Talvez não aja uma profissão que dependa mais da ação sobrenatural do Senhor Deus do que o agricultor. Porque ele dependia sempre de coisas que não estavam ao seu controle: chuvas, proteção de pragas, sol na medida certa, enfim, há uma dependência irrestrita do Eterno.
 Estou decidido a viver esses princípios que acabei de compartilhar com vocês: semeando com responsabilidade, fé e paciência e tenho certeza que, em breve compartilharemos muitos “feixes de trigo” que servirão de alimento para as nossas almas tão carentes da verdade em um mundo onde o engano é tão bem aceito!
 Você está comigo?

domingo, 21 de agosto de 2011

um verdadeiro impacto para nossa nação

por: willes pinheiro
fonte horiginal: mantenedor da fé

Pastor Samuel Esperandio
Diretor Executivo da Convenção Batista Pioneira e Licenciado em Geografia
publicado originalmente no site da Junta de Missões Nacionais
da Convenção Batista Brasileira
“O meio ambiente é o conjunto de componentes físicos, químicos, biológicos e sociais capazes de causar efeitos diretos ou indiretos, em um prazo curto ou longo, sobre os seres vivos e as atividades humanas” (Conferência das Nações Unidas – Estocolmo, 1972).
*
Conforme o relato de Atos 17, quando os missionários Paulo e Silas pregavam a Palavra de Deus em Tessalônica aconteceram alguns fatos pitorescos, a saber:
1. Reforço da metodologia missionária, cuja estratégia era contatar em primeiro lugar pessoas com maior proximidade cultural, razão pela qual os missionários procuraram a sinagoga (v. 1);
2. Ao anunciar a Cristo, houve uma reação muito positiva, com a conversão de judeus, gregos e mulheres da alta sociedade (v. 4);
3. Uma reação contrária, porém, se estruturou promovendo um alvoroço, identificado como uma convulsão social (v. 5);
4. A acusação contra a equipe missionária, no entanto, refletiu justamente a atitude daqueles que formularam a acusação, ao afirmarem: “Estes que têm alvoroçado o mundo chegaram também aqui” (v. 6).
*
Embora a base dessa afirmação pudesse ser destruída pelo exame daqueles acontecimentos, a frase não deixou de ter razão. Ou seja, ao afirmar que o movimento cristão apostólico que havia transtornado o mundo chegara também naquela localidade, mesmo sem querer, os acusadores dos missionários cristãos estavam reconhecendo uma grande realidade, já que perceberam a influência do movimento cristão no contexto de vida das comunidades onde o evangelho estava sendo pregado.
À semelhança de Jesus, seus seguidores estavam “anunciando o evangelho aos pobres, proclamando libertação aos cativos, restauração da vista aos cegos, colocando em liberdade os oprimidos, e apregoando o ano aceitável do Senhor” (Lc 4. 18 e 19), e isso foi motivo suficiente para que houvesse uma mudança capaz de alterar componentes sociais significativos.
Ao longo do Novo Testamento são inúmeros os testemunhos de profundas transformações sociais aonde o evangelho chegou em palavras e em obras. A história da igreja cristã também é pródiga em exemplos. Contrariamente, entretanto, poderíamos afirmar que aonde o evangelho chega e não se podem perceber transformações profundas ao longo de anos, décadas e até gerações, devemos questionar a eficácia dessa obra missionária.
Em outras palavras, o meio ambiente influenciado pelo evangelho na vida da comunidade certamente será transformado, melhorando a qualidade de vida das pessoas e valorizando as relações sociais pelo fortalecimento das famílias. Haverá maior respeito pela natureza como criação divina, digna de cuidado e objeto do zelo, e não da cobiça e da acumulação de riquezas mal adquiridas.
Certamente haverá também a dimensão da salvação eterna das almas arrependidas que se entregam ao Salvador e Senhor Jesus Cristo, sem que isso reduza a importância e os resultados práticos nas vidas transformadas.
Temos a oportunidade de perceber claramente que nossas vidas impactam as famílias, impactam as comunidades, impactam o campo e as cidades, e certamente impactam a nação. De que modo sua vida está impactando o Brasil? De que modo nossa igreja pode impactar nossa comunidade e a nação?

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

como pode ?

Como pode um Deus amoroso mandar pessoas para o inferno?

Deus dá a todas as pessoas evidências suficientes de sua existência.

Pois o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles [os homens], porque Deus lhes manifestou. Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis”. (Romanos 1: 19-20)

Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos”. (Salmos 19:5)
Apesar disso, as pessoas escolhem não conhecê-lo.

Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram a coisas e seres criados, em lugar do Criador…” (Romanos 1:25)

Diz o tolo em seu coração: “Deus não existe”” (Salmos 14:1)

Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho.” (Isaías 53:6)

Deus olha lá dos céus para os filhos dos homens, para ver se há alguém que tenha entendimento, alguém que busque a Deus. Todos se desviaram, igualmente se corromperam; não há ninguém que faça o bem, não há nem um sequer”. (Salmos 53:2-3)

Nos últimos dias sobrevirão tempos terríveis. Os homens serão egoístas, avarentos, presunçosos, arrogantes, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem amor pela família, irreconciliáveis, caluniadores, sem domínio próprio, cruéis, inimigos do bem, traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus”. (2Timóteo 3:1-4)

Portanto, Deus está dando às pessoas o que elas querem.
Deus quer que todas as pessoas sejam resgatadas de seus pecados e conheçam a verdade (1Timóteo 2:3-4). Ele deseja que todos se arrependam e venham a conhecê-lo (2Pedro 3:9). Entretanto a Bíblia também revela que Deus não força ninguém a reconhecê-lo. Ele permite que as pessoas o rejeitem mesmo que isso não o agrade. Deus é amor (1João 4:16), mas ele permite que as pessoas rejeitem seu amor e permaneçam em seus pecados.
A Bíblia diz que haverá um julgamento, quando todos terão que se apresentar diante do trono de Deus (Apocalipse 20:11-13). Qualquer um cujo nome não for encontrado escrito no “livro da vida” será jogado no lago de fogo (Apocalipse 20:15).
Deus disse aos israelitas:
Hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam.” (Deuteronômio 30:19).
Esta é a escolha perante cada um de nós: a bênção ou a maldição, vida ou morte, o amor de Deus ou a ira de Deus.
Parece ilógico para alguns que Deus possa ser amoroso e iracundo ao mesmo tempo. Entretanto, muito do caráter de Deus é além da nossa compreensão. A ira de Deus e o seu amor são compatíveis, mesmo que de uma forma que não possamos ainda compreender.
Mesmo que não possamos entender completamente, a decisão ainda está diante de nós. Deus diz que todos nós merecemos sua ira e julgamento. Jesus disse:
…a menos que vocês creiam que Eu Sou vocês morrerão em seus pecados”( João 8:24).
Mas Ele convida a todos a se dirigirem a ele para obter perdão, para ao invés de serem condenados por ele possamos ser perdoados e reconciliados com ele. Jesus disse:
Em verdade, em verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida”. (João 5:24).

por willes pinheiro
fonte mantenedor da fé

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Alvoroço santo

Por Missionária Marta Lúcia
publicado originalmente no site da Junta de Missões Nacionais
da Convenção Batista Brasileira
Estes que têm alvoroçado o mundo, chegaram também aqui; Atos 17:6b
Realizamos um culto em um dos bares da comunidade da Mutamba da Caeira, com o consentimento do dono. Queria chegar lá e falar para os bêbados, por isso pedi ao Sr. Carlos, dono do bar, que não avisasse a ninguém. Chegamos e havia algumas pessoas bebendo. Os meninos da nossa congregação convidaram os vizinhos e então começamos com alguns cânticos, depois uma encenação evangelística e as pessoas, que de início pareciam assustadas, iam ficando mais à vontade, depois eu dei uma palavra relacionada à peça.
No meio da pregação, um dos bêbados começou a fazer perguntas a respeito do amor de Deus para com ele e eu lhe disse que Deus o amava e ele me perguntou: “Assim desmantelado, sujo e fedendo a cachaça?“. Terminamos o culto e nos reunimos para lanchar no bar, como tínhamos combinado previamente. Aquele homem, chamado Chagas, veio falar comigo e disse que não aguentava mais aquela vida, que os espíritos o perturbavam muito e que bebia pra poder dormir, pois os espíritos ficavam ao redor de sua rede. Nesta ocasião chegou a nomear pelo menos quatro deles.
Falei pra ele entregar a vida a Jesus e ele perguntou como fazer. Quando comecei a explicar-lhe, percebi que já não era mais ele a falar, mas sim um dos espíritos que estavam nele e este me desafiou. O espírito disse que eu não entraria na casa dele e que “um pastor da Assembleia tentou e sua Bíblia pegou fogo” e uma pregadora de outro lugar foi lá e caiu na porta da casa. Então eu disse pra ele:
eu vou entrar na sua casa e não vou cair porque vou em nome de Jesus Cristo e eu estou agora na sua frente de pé e não vou cair, mas você vai ser liberto em nome de Jesus.
Voltamos pra casa, convidei toda a igreja a orar e jejuar comigo por dois dias, até quando iríamos visitar aquele homem. Chegamos lá no dia acertado e não o encontramos, ficamos tristes, oramos em frente da casa dele e pedimos a Jesus que o colocasse em nosso caminho. Voltamos procurando por ele no bar, na casa do pai dele, onde as pessoas diziam tê-lo visto, e nada! Até que o avistamos em frente à Assembleia de Deus e então fomos ao encontro dele, que já tinha bebido um pouco.
Voltamos à casa dele e foi lindo. Quando ele abriu a porta já foi se ajoelhando e dizendo que queria entregar sua vida a Jesus. Oramos com ele, cantamos, lemos a Bíblia. Meus queridos, este homem mudou o semblante, os olhos brilhavam, dava glória a Deus, dizia que estava liberto, cantava… foi maravilhoso! Ficamos de voltar no dia seguinte à noite. Chegando lá não o encontramos, procuramos em todos os lugares possíveis e não o encontramos, dissemos pra Jesus que queríamos aquele homem e que não desistiríamos. Dois irmãos se comprometeram a procurá-lo no dia seguinte, assim fizeram e o encontraram dormindo no quintal do bar desde o dia anterior, segundo informação do dono do bar.
Os irmãos o levaram pra suas casas, deram-lhe banho, roupas limpas, comida e adotaram o irmão Chagas. E que alegria quando entramos na igreja e ele estava sentadinho, bem vestido e nos cumprimentou com um largo sorriso. Depois de dez dias sem beber e andando limpo, já começou a trabalhar e disse que os demônios fugiram todos.
Meus queridos, este fato causou um grande impacto em toda a localidade de Mutamba. As pessoas estão procurando a igreja, estão perplexas e dizem que nunca viram coisa igual, porque ninguém dava valor àquele homem, mas Jesus o transportou do reino das trevas para sua maravilhosa luz. Naquele dia, naquele bar, havia 18 bêbados e queremos todos os outros pra Jesus também e vamos continuar com esta estratégia. O dono do bar aceitou realizar um grupo familiar em sua casa e tem havido um grande alvoroço por aqui. Queremos mais e mais e vamos conquistar este lugar para Cristo a fim de que ele seja verdadeiramente feliz.
Orem por nós, vamos avançar!
Missionária Marta Lúcia
missionária na cidade de Açu no Rio Grande do Norte


por willes pinheiro

domingo, 7 de agosto de 2011

perseguição e toque de recolher a pastores na india

Publicado originalmente no Jornal Batista
A Aliança Batista Mundial (BWA, sigla em inglês) informa que pelo menos 10 pessoas foram mortas, aproximadamente 2 mil casas foram queimadas e cerca de 50 mil pessoas se deslocaram em decorrência dos confrontos entre duas tribos no nordeste da Índia.

Pr. John Upton - Presidente da BWA
Os batistas têm mobilizado recursos financeiros e humanos para ajudar os deslocados e as pessoas afetadas de todas as maneiras.
Os distúrbios entre as tribos Garo e Raba começaram no dia 1° de janeiro, após um ataque contra um pastor Batista Garo em Megalaia. Ele foi atacado ao retornar de um casamento familiar no dia 22 de dezembro de 2010. “Muitas aldeias têm sido incendiadas e pessoas deixadas sem lar”, afirmou Wanne Garrey, da Convenção Batista Garo. Segundo ela, líderes da igreja estiveram “tentando fazer o melhor para acalmar a situação”.

no mapa escrito em Inglês, Megalaia está como Megalaya
Os incidentes aconteceram nas Colinas de Garo Leste, região de Megalaia, e no distrito de Goalpara de Assam. A região tem uma grande população batista. Grande parte do nordeste da Índia, incluindo os estados de Nagalândia, Mizoram e Manipur, tem significativas concentrações de cristãos batistas.
“A Convenção Batista de Garo deu início a um trabalho de socorro”, relatou Garrey. “É muito triste e muitos estão ainda vivendo em acampamentos de socorro temporário, em condição precária, embora alguns tenham conseguido retornar aos seus lares. A recuperação levará tempo, pois muitos perderam suas propriedades”.
A área foi colocada sob pesado toque de recolher por vários dias. Embora o toque de recolher tenha sido interrompido, a partir de então continuará em vigor a proibição de realização de assembleias de mais de cinco pessoas.
Esta complicada situação deve ser alvo de oração de todos.

por : willes pinheiro 
fonte mantendor da fé