quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Os excluidos do caminho de Jericó e o infanticidio indigina

Erramos ao pensar que decisões são tomadas com base em nossa vontade. Apesar do desejo humano de exercer papel fundamental em nossas escolhas, tal sentimento não é forte o suficiente para gerar e manter iniciativas complexas — muitas vezes nem mesmo as mais simples.
Decisões são tomadas com base em princípios. Aquilo que cremos e que nos impele a manter uma posição, por mais desconfortável ou improvável que pareça. As decisões mais duradouras são tomadas sob a motivação da Palavra de Deus.
Lucas nos apresenta quatro personagens distintos no capítulo 10. O necessitado caído ao longo do caminho com feridas e dores era a figura de um judeu, assaltado e inconsciente entre Jerusalém e Jericó. Um sacerdote viajava por este caminho e provavelmente iria cultuar a Deus na sinagoga de Jericó. Possuía em sua bagagem um sermão pronto, usava suas vestes cerimoniais e tinha uma agenda a cumprir. Era seguido por um levita que talvez também caminhasse para Jericó para o mesmo evento cúltico. Se assim fosse poderíamos encontrar em sua bolsa o repertório de cânticos de adoração e palavras de exortação a uma vida mais santa. Talvez até pensasse em expressões poéticas que levassem o povo a buscar ao Senhor com mais intensidade.
Passava por ali um samaritano. Possuía todos os motivos sociais para fechar os olhos, pois o homem caído era um judeu, intruso em sua terra e opressor do seu povo. Poderia ser esta a oportunidade de vingança, mesmo que silenciosa. Também não cairia bem a um samaritano ajudar um judeu. Mas ele se compadeceu e decidiu ajudar. Não parou puramente pela vontade. Talvez nem tivesse vontade de parar. Parou por seus princípios. Assim ele salvou o ferido, o que nos leva a entender que algumas iniciativas podem transformar vidas. E estas são as iniciativas que devemos buscar ao longo da nossa existência.
O sacerdote e o levita, absortos pela institucionalização de seus ministérios, esqueceram que pessoas são mais importantes que coisas e compromissos, que uma alma vale mais que o mundo inteiro. Embora tivessem a roupagem e a função sacerdotal e levítica, esqueceram-se da missão e já não choravam pelos homens caídos em caminhos vazios.